fbpx

Blog

COVID e Câncer de Pulmão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Pacientes com câncer de pulmão e os cuidados relacionados ao COVID

Frente ao recente aumento do número de casos de infecção pelo COVID-19, surgem as mesmas angústias do início da pandemia, principalmente para quem tem o diagnóstico ou possui algum parente ou amigo com câncer de pulmão. Felizmente, desde março de 2020 temos aprendido cada vez mais sobre os efeitos do coronavírus em pacientes oncológicos e como lidar com esse momento delicado para a saúde mundial e, principalmente, pessoas que lidam com o câncer.

Os protocolos de atendimento já foram definidos

Primeiramente, os protocolos de atendimento dos pacientes frente a pandemia já foram estabelecidos e permitiram a manutenção do acesso ao sistema de saúde de maneira segura. Isso significa que não há risco em procurar atendimento oncológico ou manter sessões de tratamento, pois, os fluxos do paciente criados dentro dos serviços minimizam o risco de contaminação e permitem que o paciente continue seu tratamento.

As novas medidas, conhecidas por todos nós, como uso de máscaras, medidas de temperatura e perguntas sobre sintomas, com isolamento de pacientes potencialmente contaminados e limpeza otimizadas das superfícies trouxeram segurança para as instituições recomendarem que os pacientes não deixem seguir seu tratamento. Isso é de grande importância, pois a maior consequência do COVID para esta população foi o atraso no diagnóstico e tratamento, por medo de contaminação durante a visita a hospitais e clínicas.

Medicações 

O segundo ponto é a interação dos tratamentos oncológicos (quimioterapia, imunoterapia, terapias alvo) com as complicações do COVID. Hoje, sabemos que pacientes que fazem uso de imunoterapia isolada ou terapias alvo têm menor chance de complicação dos que utilizam quimioterapia. Por isso, se você é um paciente com câncer de pulmão ou têm doença em progressão é válido discutir com seu médico se é possível o uso das medicações com menor taxa de complicação ou se é necessário alguma adaptação de tratamento.

Continuar os cuidados mesmo após tomar vacina

Terceiro e mais importante: como se manter seguro na pandemia. É fundamental que os pacientes com câncer de pulmão estejam atentos às medidas de segurança para evitar o risco de contaminação. Algumas dicas práticas são o uso de máscara constante em locais públicos ou ambiente fechado com mais de uma pessoa e que lave-se as mãos com água e sabão ou use álcool gel nelas frequentemente, após contato com superfícies que possam estar contaminadas. Outra dica simples é retirar os sapatos antes de entrar em casa que, junto com hábito de tomar banhos, e lavar as compras de supermercados com hipoclorito ou álcool 70%, permitem o controle da disseminação do vírus dentro de casa.

Para as pessoas que possam, o isolamento social também diminui a chance de infecção pelo vírus. Manter-se longe de pessoas sintomáticas, principalmente no ambiente domiciliar, é extremamente importante. Vale lembrar que nestas festas de fim de ano, evitar aglomerações e continuar com as medidas de precaução (uso de máscaras, privilegiar ambientes externos e abertos, não ter contato físico e distanciamento de 2 metros) também evitam a disseminação do vírus.

Pacientes com câncer de pulmão têm maior risco de complicação se contraírem o coronavírus, mas com as medidas preventivas de contaminação, isso pode ser diminuído. Portanto, não deixe de procurar atendimento e, principalmente, tire todas as suas dúvidas com um profissional da saúde. É um dos momentos mais difíceis do século, mas com cuidado e consciência da sociedade, venceremos e voltaremos a poder abraçar nossos entes amados e queridos.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email