Efeitos colaterais do tamoxifeno: veja como ajudar o paciente

câncer de mama e o tamoxifeno

A cada dia que passa, o tratamento do câncer evolui e se torna mais específico e individualizado para os pacientes. É o caso, por exemplo, da hormonioterapia: essa modalidade, relativamente nova, tem como princípio modificar a maneira como os hormônios agem em nosso corpo. Para o câncer de mama, o medicamento mais utilizado com esse fim é o tamoxifeno.

O câncer de mama atinge 1 em cada 4 casos novos de câncer por ano entre as mulheres no Brasil; por isso, é cada vez mais importante conhecer os medicamentos utilizados no seu tratamento e quais os efeitos deles no corpo. Você já se perguntou quais são os efeitos colaterais do tamoxifeno?

Se você tem interesse, está no artigo certo. A seguir, falaremos sobre os efeitos colaterais do tamoxifeno e como minimizá-los. Também falaremos de como esse remédio age no corpo e quais as suas principais indicações. Vamos lá?

Como o tamoxifeno age no organismo?

Para compreendermos o mecanismo desse remédio, temos que entender como o câncer de mama aparece. Essa é uma doença causada pela proliferação excessiva das células da mama, que pode ou não invadir outros tecidos. Qualquer substância que estimule o crescimento dessas células, portanto, tem o potencial de influenciar no câncer de mama.

E, uma dessas substâncias já é conhecida pela ciência: o estrógeno, principal hormônio feminino. Para compreender seu efeito, basta que você pense nas modificações que ocorrem durante a adolescência. É nesse período que os níveis de estrógeno começam a subir, o que causa um aumento no tamanho da mama. Por uma analogia semelhante a essa, os médicos compreenderam que esse hormônio pode ajudar as células do tumor a crescerem.

É aí que entra o tamoxifeno: esse medicamento é um bloqueador dos receptores do estrógeno na mama. Ele funciona “grudando” onde esse hormônio se liga, impedindo sua ação nas células do câncer. Assim, impedimos que o estrógeno estimule o tumor e conseguimos controlar o seu crescimento.

Quais são os efeitos colaterais do tamoxifeno?

Como toda medicação, o tamoxifeno não está imune aos efeitos adversos. Falaremos a seguir dos mais comuns, que acometem mais de 10% das pacientes em uso desse remédio. Continue lendo para saber mais!

Ondas de calor

Assim como ocorre na menopausa, as ondas de calor também podem estar presentes durante a hormonioterapia. Elas ocorrem devido à redução da ação do estrógeno nos vasos, levando mais sangue para a pele. Os episódios podem vir em qualquer hora do dia e geralmente suavizam em alguns minutos.

Para evitar esses sintomas — chamados também de “fogachos” — o ideal é manter a paciente sempre refrescada. Opte por encontros em locais arejados ou ao ar livre, por exemplo. Lembre-a de carregar sempre consigo uma garrafinha de água e preferir bebidas mais frias. O uso de roupas leves também impede um aquecimento excessivo do corpo.

Náusea

A náusea é um dos efeitos colaterais mais conhecidos de quem passa pelo tratamento do câncer; com o uso do tamoxifeno, ele também não é incomum. Além de ser muito desagradável, a náusea também pode afetar a alimentação, o que é prejudicial para o tratamento.

Por isso, para evitar esse efeito colateral, preste muita atenção na alimentação da paciente. Evite alimentos pesados, picantes ou fortes demais. Você também pode intervalar as refeições em pequenas porções mais frequentes, para evitar que o estômago distenda demais. Por fim, lembre-se também de alertar a paciente para não comer antes de deitar, o que evita as náuseas de madrugada.

Retenção de líquido

Uma das preocupações mais frequentes no câncer de mama com o uso do tamoxifeno é saber se ele engorda ou não. O medicamento, por si só, não está relacionado a um ganho de peso muito significativo; no entanto, a retenção de líquidos no corpo é um efeito adverso que já foi relatado. O tamoxifeno não aumenta a quantidade de gordura no corpo, mas aumenta uma sensação de inchaço. As áreas mais acometidas são os tornozelos.

A dica mais importante, nesse momento, é não limitar a ingesta de água. Lembre-se de que a desidratação pode ser um fator de complicação durante o tratamento do câncer. Opte por inserir nas atividades diárias algum período de exercícios físicos, que auxiliam na reabsorção do líquido. Não, não há restrição absoluta de atividades físicas durante o tratamento. Aproveite a deixa para convidar uma amiga para praticar algum esporte ou fazer uma caminhada.

Pele ressecada

Outra ação muito conhecida dos hormônios femininos é na pele. Você já conhece alguém que fez uso de anticoncepcionais (que são a base de estrógeno) e ficaram com a pele bem diferente? Se sim, já sabe mais ou menos porque o tamoxifeno pode causar alterações dermatológicas.

Embora a pele ressecada seja a mais perceptível, outros efeitos colaterais também podem surgir. Dentre eles, estão erupções de acne, coceira e descamação. A dica, aqui, é usar os produtos adequados para a pele da paciente: caso ela esteja oleosa demais, sabonetes neutros e contra a acne são indicados. Já nos casos de ressecamento excessivo, a orientação é usar bastante creme hidratante.

Em casos mais graves, um dermatologista pode ser procurado; afinal, pacientes com câncer têm as mesmas queixas que os que não estão nessa jornada. Por último, mas não menos importante: lembre sempre a paciente de usar o protetor solar!

Quando o tamoxifeno é contraindicado?

O tamoxifeno, a princípio, não é aconselhado para grávidas ou mulheres que estão amamentando. Além disso, devemos ter cuidado com interações com outros medicamentos. Anticoagulantes (como o AAS ou a varfarina), antidepressivos e alguns antibióticos podem interferir em sua função. Para isso, não há escapatória: a consulta com um médico especialista é fundamental para avaliar a correta indicação do remédio.

E você, já conhecia esses efeitos colaterais do tamoxifeno? Comente conosco nos comentários! Tenha atenção no que mencionamos nesse artigo e ajude seus conhecidos durante essa jornada. Assim, você conseguirá ajudá-los a aproveitar os medicamentos ao máximo e minimizar os efeitos adversos.

Se você quer ficar por dentro de assuntos relacionados ao tratamento do câncer, por que não nos segue em nossas redes sociais? Estamos no Facebook e no Instagram, sempre falando a esse respeito!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email