fbpx

Blog

O que são cuidados paliativos? – Parte 01

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

O que são cuidados paliativos? Ao falar sobre este assunto, devemos ressaltar sua importância para o paciente em estado terminal. Ao cuidar de seu ente querido nos últimos meses ou dias de sua vida, você é responsável por garantir que ele receba respeito, dignidade e conforto físico até o último momento.

Proteger alguém é uma forma de cuidado. Isso ameniza o sofrimento e a dor, sejam eles de origem física, psicológica, espiritual ou social. Este é o significado da palavra “paliação” ou “paliar”: sempre há o que fazer por você ou pela pessoa que você cuida.

Receber o diagnóstico de uma doença que ameace a sua vida é algo muito angustiante, que costuma vir acompanhado de vários sintomas, questões emocionais e de ordem social. Sendo assim, o paciente precisa receber os cuidados paliativos, e inclusive há uma equipe de profissionais especialistas nisso, ou seja, há muito o que fazer pelo paciente.

O impacto de um diagnóstico difícil traz à tona pensamentos de luto, apreensão sobre a morte, questionamentos morais, desamparo familiar, afastamento das atividades e até mesmo complicações financeiras.

Quem são os profissionais responsáveis pelos cuidados paliativos?

Com tudo isso, não existe apenas uma abordagem profissional, é necessário a ajuda de profissionais de várias áreas para trazer conforto ao paciente, diminuir a dor causada pela doença e melhorar a qualidade de vida tanto de quem passa pela enfermidade, quanto de familiares e amigos.

A equipe multiprofissional inclui médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, capelães (ministro religioso autorizado a prestar assistência em hospitais por exemplo), entre outros profissionais, para dar conta de uma extensa demanda de necessidades.

Por exemplo, o paciente que passa pelo diagnóstico do câncer pode ser acompanhado pelo médico oncologista e ser acompanhado pela equipe de cuidados paliativos. Uma pessoa que sofre um acidente de motocicleta, e por consequência fica paraplégica, pode ser acompanhada por um neurologista e uma equipe paliativista. Em ambas as histórias a equipe de cuidados paliativos ameniza toda carga emocional que fica sobre o paciente e cuidador, independente da evolução da doença. O papel da equipe é acolhimento e amparo.

O que são os Hospices

No contexto histórico, era comum hospedarias também conhecidas como “hospices“, e monastérios (na idade média), abrigarem não só doentes, mas pessoas famintas, mulheres grávidas, com crianças de colo, e pessoas desabrigadas. Estes locais tinham como característica o acolhimento, a proteção e o alívio do sofrimento.

Um dos precursores dos Hospices foi o padre São Vicente de Paula, que fundou, no século XVII, a Ordem das Irmãs da Caridade em Paris e abriu várias casas para órfãos, pobres, doentes e moribundos. Em Londres no ano de 1900, cinco Irmãs da Caridade fundaram o St. Josephs Convent, e visitavam os doentes em suas casas.

Em 1967 a enfermeira, assistente social e médica Cicely Saunders fundou o St. Christopher´s Hospice, o primeiro serviço a oferecer cuidado integral ao paciente, desde o controle de sintomas, alívio da dor e do sofrimento psicológico.  Até hoje, o St. Christopher´s é reconhecido como um dos principais serviços no mundo em Cuidados Paliativos e Medicina Paliativa.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email