fbpx

Blog

Saiba quais alimentos ajudam a controlar as náuseas durante a quimioterapia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Você sabia que as náuseas e os vômitos causados pela quimioterapia acometem aproximadamente 80% dos pacientes?

Sim, náuseas e vômitos são sintomas frequentemente relatados pelos pacientes, que referem que dentre todos os efeitos colaterais, esses são os mais incômodos.

Porém, vale ressaltar que não existe regra, alguns pacientes vão apresentar sintomas mais graves, outros mais leves e alguns nem vão apresentar. Isso depende de muitas variáveis, inclusive do tipo de quimioterapia.

As náuseas e os vômitos podem ocorrer durante o tratamento, logo em seguida a sessão de quimioterapia, algumas horas depois ou até mesmo alguns dias depois.

Mas porque esses sintomas acontecem?

A quimioterapia é um tratamento que tem como objetivo destruir as células do câncer, porém, neste processo células saudáveis são destruídas também como, por exemplo, as células que revestem o estômago ou intestino.

Ao sofrer a agressão pela quimioterapia o corpo envia sinais ao cérebro, causando assim os efeitos colaterais. Isso porque o corpo entende que algo errado está acontecendo e que precisa ser eliminado.

Agora faz sentido porque esses sintomas são tão comuns?

Apesar de fazer parte de todo o processo, acabam diminuindo a qualidade de vida dos pacientes em tratamento, causando também perda de peso, desidratação e distúrbios hidroeletrolíticos.

Como prevenir e controlar os sintomas?

Hoje, já existem muitos medicamentos que auxiliam a prevenir e controlar estes sintomas, são os chamados antieméticos, porém, algumas estratégias como relaxamento, meditação, acupuntura e alimentação adequada podem ajudar também.

É muito importante que você preste atenção no seu corpo, na sua rotina e naquilo que mais te causa náuseas para evitar aquela situação. Como por exemplo, um alimento específico, cheiros, uma hora do dia. Você pode fazer um diário da sua alimentação para entender melhor os seus sintomas!

Agora, vamos a algumas dicas em relação a alimentação que podem te ajudar com as náuseas e vômitos? 

  • Lembre-se que todos esses sintomas fazem com que a gente perca a vontade de comer. Por isso, não seja tão exigente com você mesmo se não conseguir comer. Respeite os seus limites e não se force pois assim você pode até piorar os sintomas;
  • Se for preciso, consuma pequenas quantidades de alimentos e mais vezes ao dia. Ficar longos períodos em jejum, de estômago vazio por muito tempo, pode piorar as náuseas;
  • Se for possível, peça para alguém preparar as suas refeições e evite ficar no mesmo ambiente em que a comida está sendo preparada;
  • Quando for se alimentar utilize roupas confortáveis, que não apertem a região da barriga;
  • Se possível se alimente em um ambiente bem ventilado, para que você não sinta tanto o cheiro da comida;
  • Prefira alimentos de fácil digestão, ou seja, evite alimentos muito gordurosos, frituras e doces concentrados. Assim os alimentos ficam menos tempo no estômago e diminuindo a chance de as náuseas aparecerem;
  • Coma e beba sem pressa, mastigue bem os alimentos para facilitar a digestão e reduzir o tempo que os alimentos ficam no estômago;
  • Evite preparações muito condimentadas (com muito tempero) e picantes. Prefira alimentos mornos ou frios;
  • Alimentos frios e cítricos (como limão, laranja) são mais bem tolerados pela maioria dos pacientes – experimente um picolé de frutas!
  • O gengibre pode ser um ótimo aliado para minimizar as náuseas, experimente fazer um chá ou até um suco de fruta com gengibre;

Em dias em que estiver muito enjoado, evite tentar comer aquela comida que tanto gosta para que você não tenha aversão a ela!

  • Depois de se alimentar, procure ficar um tempo sentado ou em pé, evitando se deitar logo após que comer;
  • Mantenha sua boca limpa, escovando os dentes pelo menos duas vezes por dia. Os odores que ficam na boca após a alimentação podem levar o seu corpo a sentir náusea.

Lembre-se que somos únicos, existem tratamentos diferentes e as pessoas podem sentir efeitos colaterais diferentes, por isso é muito importante conversar sempre sobre os seus sintomas com os profissionais de saúde que te acompanham!

Quer receber mais informações relevantes sobre saúde em seu e-mail? Basta se cadastrar em nossa newsletter.Ou entre em contato com a gente agora mesmo.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email