Veja os mitos e verdades sobre o câncer de mama

mitos e verdades sobre o câncer de mama

Acreditar em mitos pode ser altamente prejudicial para a saúde. O cuidado com o corpo depende de informações objetivas e corretas, de preferência confirmadas por um médico. Isso também vale para o câncer de mama.

Entre as mulheres, 29% dos novos casos de câncer são de mama. Tamanha incidência pode contribuir para que mais pacientes acreditem em informações falsas e tenham seu tratamento prejudicado. Você sabe se já caiu em algum mito?

Para ajudar nisso, reunimos os principais mitos e verdades sobre o câncer de mama. Como qualquer outro problema de saúde, o acompanhamento médico é fundamental para o diagnóstico e tratamento corretos.

Veja a seguir os principais mitos e verdade sobre o câncer de mama:

Mito: alguém certamente vai ter câncer de mama se um parente teve a doença

Não é bem assim. Por mais que um dos fatores de risco do câncer de mama seja a hereditariedade, ela corresponde a uma frequência bem baixa dos casos. Ou seja, não dá para dizer que é algo que certamente ocorrerá.

No entanto, o histórico da doença na família deve servir de motivação extra para realizar exames regulares junto a um oncologista ou mastologista para manter longe o risco da doença.

Verdade: é possível fazer a mamografia mesmo tendo prótese de silicone

A presença de uma prótese de silicone nos seios não impede a realização da mamografia.

Caso o médico sinta necessidade, esse exame pode ser complementado pela ultrassonografia e ressonância magnética.

Mito: o uso de desodorantes e antitranspirantes aumenta as chances de ter câncer de mama

Segundo os estudos feitos até então, não se comprovou qualquer relação entre o uso de desodorantes e antitranspirantes e um aumento na incidência de câncer de mama.

Isso vale para todos os tipos desses produtos: roll-on, spray e aerosol.

Verdade: quem menstruou cedo tem mais chances de ter câncer de mama

Durante a menstruação, o corpo produz estrogênio e progesterona, e uma exposição excessiva da mama a esses hormônios aumenta o risco de desenvolvimento de células cancerígenas.

Portanto, quem menstruou cedo teve mais menstruações e, assim, apresenta um risco mais elevado de ter câncer de mama.

Mito: o câncer de mama sempre se manifesta como um caroço

Nem sempre é assim. O nódulo é o sinal mais famoso do câncer de mama, mas a doença também pode se manifestar por microcalcificação.

Isso significa que mesmo um nódulo que não é facilmente perceptível pode representar um risco e requerer atenção médica. Aliás, é por isso que o auto-exame não tem relevância médica. A única forma de manter a saúde em dia é com visitas regulares ao médico.

Verdade: mulheres que têm filhos têm menos chances de ter câncer de mama

Isso é verdade por um motivo semelhante à verdade relacionada à menstruação.

A explicação é que, durante a gestação, a concentração de hormônios nas mulheres cai por conta da interrupção da menstruação.

Tendo em mente esses mitos e verdades sobre o câncer de mama, já é possível ter uma ideia muito mais correta a respeito do câncer de mama e suas particularidades. Por ser um problema de saúde complexo, é sempre importante tirar dúvidas para ter certeza da veracidade das informações.

Continue por dentro de tudo o que é relevante quando o assunto é saúde. Basta curtir a nossa página no Facebook.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email