Câncer de Mama & Sexualidade

Texto escrito por Isabel Costa

Enfrentar um câncer de mama não é fácil. As mudanças são muitas, não são só emocionais, como também são físicas. Aliás, nenhuma mulher passa por um câncer e continua a mesma. Não poderia ser diferente, as mamas são o esteio do corpo feminino.

Conviver com as mudanças que surgem após o tratamento oncológico são desafios únicos e diários vivenciados por cada mulher. A perda dos cabelos é uma questão temporária, embora não deixe de ser um processo doloroso. Todavia, existe a mudança que é permanente, a mastectomia. A perda das mamas pode gerar uma série de inseguranças, seja com a autoimagem, seja com o parceiro.

Além das mudanças que foram citadas, existem as mudanças decorrentes do tratamento quimioterápico, da hormonioterapia e da menopausa induzida. O tratamento quimioterápico pode engordar e inchar o corpo feminino. Já a hormonioterapia, pode alterar os níveis hormonais, impactando diretamente na libido feminina. Enquanto isso, a menopausa induzida pode gerar ressecamento vaginal, além de todos os efeitos colaterais sofridos pela mulher no climatério.

É muito comum que as mulheres que passam pelo tratamento se questionem sobre a própria beleza e sensualidade! Muitas até se comparam com os padrões estéticos impostos incansavelmente pela sociedade. Esses questionamentos e comparações geram estresse, ansiedade e muita insegurança.

Muitas mulheres sentem desconforto, insegurança e até mesmo vergonha de tocar nessa questão tão delicada, isso pode acabar afetando diretamente o relacionamento de um casal. Por isso, é de extrema importância um diálogo aberto e livre de tabus. 

Você que é mulher em tratamento ou está lidando com os sintomas pós-tratamento, não deixe de pedir orientação ao médico que a atende e, se for o caso, é válido procurar ajuda profissional para conversar sobre  inseguranças e dificuldades vivenciadas na vida a dois. Hoje em dia, existem diversas alternativas que aliviam e até mesmo cessem os desconfortos e sintomas decorrentes do tratamento.

O câncer não pode limitar nenhuma mulher à sua própria aparência física e estética. Aliás, é uma nova realidade que deve ser trabalhada dia após dia, é um processo que exige muito amor-próprio e cumplicidade com o  parceiro. As questões físicas e emocionais devem ser tratadas, desmistificadas e ressignificadas.